WSJF & OKRs: Como priorizar features e conectar aos objetivos chaves para gerar valor ao negócio.

 
 Imagem 1: Apresentação TDC – OKRs.

Há algum tempo os temas OKRs, MoSCoW e WSJF chamam minha atenção.

Em parceria com alguns amigos – Agilistas – decidimos realizar experimentações para colocar estes conceitos em prática.

Buscamos pontos de sinergia entre os temas e a partir disso elaboramos um modelo composto de três grandes etapas que permite conectar de forma simples e objetiva estratégica de negócio com o produto, chegando até o nível de Feature e User Story.

Os resultados foram bastante satisfatórios e o experimento acabou virando tema de uma palestra da trilha de Análise de negócios no TDC Porto Alegre 2020.

Como funciona o modelo na prática?

 1.0 – Definição de OKRs

              Imagem2: Estrutura  de OKRs.
 

Definir os Objetivos e Resultados-Chave é o ponto de partida para a construção da estratégia. Os Objetivos e Resultados permitem duas conexões importantíssimas:

  •           Alinhamento dos drivers estratégicos ou OKRs corporativos com os objetivos dos times, relacionados ao produto. Este elo é fundamental para manter o foco entre desenvolvimento do produto com a estratégia da empresa.
  • Conexão dos objetivos e resultados-chave com os épicos e features. O alinhamento entre estas duas partes permite estabelecer um vínculo entre desenvolvimento do produto com as ações necessárias para alcançar os objetivos de negócio. Este “chaveamento” proporciona a conexão entre produto e estratégia.

Com esta estrutura bem definida, ficará bem mais simples visualizar e acompanhar os resultados e as evoluções das entregas.

A imagem abaixo, ilustra a aplicabilidade dos OKRs com o framework SCRUM em times ágeis.

Imagem 3: OKRs + SCRUM.
 
 

2.0 – Utilizando MoSCoW como “Primeira Setorização”