Management 3.0 – O novo modelo de gestão

Management 3.0 - O novo modelo de gestão

Jurgen Appelo é um membro ativo das comunidades ágeis europeias. Antes de tudo, o tema de agilidade foi um grande motivador de seus estudos e atuação profissional. Assim sendo, em determinado momento ele percebeu que haviam muita literatura sobre ferramentas, métodos e processos ágeis. Entretanto não existia referencial teórico sobre um novo modelo de gestão, assim surgiu o Management 3.0.

Modelos de gestão

De antemão, Jurgen Appelo classificou os modelos de gestão de uma forma cronológica. Seu objetivo foi apresentar de forma didática o que representou na história da humanidade cada formato de gestão até a chegada do Management 3.0:

Management 1.0

Antes de tudo, um modelo de gestão baseado no comando e controle, altamente hierarquizado, padrão vigente durante em meados da revolução industrial. Geralmente existe um ou mais gestor no topo da pirâmide e os funcionários são apenas recursos comparados a máquinas que devem produzir com o máximo de eficiência, com a carga máxima. A frase “você não é pago para pensar” explica bem a cultura vigente dessa época onde o funcionário deve executar tarefas repetitivas e obedecer.

Management 2.0

Já existe uma grande evolução nesse modelo, as pessoas são vistas como os grandes ativos da empresa. Nesse sentido, os gestores começam a ser formados como líderes servidores. No entanto, o modelo altamente hierarquizado se mantém. Nesse meio tempo, ferramentas de gestão surgem tais como: BSC, Avaliação 360, teoria das restrições, dentre outras. Entretanto o comando e controle e os incentivos individuais afloram.

Do colapso do modelo surge o Management 3.0

O modelo de gestão vigente mostrou sinais de colapso. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva apontou que 56% dos trabalhadores brasileiros em regime de CLT estão insatisfeitos insatisfeitos com o trabalho. A mesma pesquisa aponta que 18,7 milhões trocariam de lugar na busca de mais alegria no trabalho.

Posteriormente, outra pesquisa realizada pela empresa americana Right Management chamou a atenção ao cruzar números de motivação e produtividade. chegou a conclusão de que os profissionais motivados são 50% mais produtivos. Nesse sentido a pesquisa ouviu 30 mil pessoas de 15 países, sendo 10 mil delas brasileiras. Analisando esse números fica claro que o modelo de gestão vigente não é sustentável, o terreno é fértil para um novo modelo, o management 3.0.

Management 3.0

Primeiramente o autor percebeu que as organizações são organizações sociais permeadas por culturas extremamente complexas. Somado a isso identificou que acima de cargos e salários, ambiente, o relacionamento entre pessoas, a cultura e a forma de gestão impactam diretamente na performance das pessoas.

No management 3.0 a felicidade das pessoas é um ponto focal, pois acredita-se que pessoas motivadas e felizes produzem mais e melhor. Nesse sentido o objetivo é o crescimento da organização e das pessoas com uma abordagem orgânica.

Visões do Management 3.0

O management 3.0 é representado por seis visões. Para ilustrar essas visões de uma forma orgânica, Jurgen Appelo criou o Martie, um ser complexo que possui seis olhos.

Martie e as 
Visões do Management 3.0

Literatura sobre o Management 3.0

O lançamento do primeiro livro de Jurgen Appelo foi contundente, e foi o primeiro passo para a consolidação de uma nova área de conhecimento. A partir disso uma série de livros começaram a surgir, seguem alguns livros ligados direta ou indiretamente ao novo modelo.

Management 3.0 – Leading agile developers, developing agile leaders
Como mudar o mundo
Managing for Happiness
WorkOut
Motivação 3.0

Artigos relacionados a ferramentas de Management 3.0

No site oficial existem diversas ferramentas disponíveis para facilitar dinâmicas que tenham por objetivo atuar na cultura de uma empresa buscando uma nova abordagem de gestão. Seguem alguns artigos sobre o tema:

Propósito, o time conhece e se identifica com ele?

Utilizando Moving Motivators nas Reuniões de Retrospectiva

Management 3.0: Fortalecendo o Engajamento de Equipes Utilizando Personal Maps

O que achou dessa nova abordagem de gestão? Faz sentido para vocês? Bora praticar?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *