Jornada em Direção a um Verdadeiro Mindset de Crescimento

No capítulo 8 do livro Mindset: A Nova Psicologia do Sucesso, Carol Dweck fornece um passo a passo para treinarmos o cérebro a construir um “Mindset de Crescimento”. Este exercício é  composto por 4 jornadas.

Para compreender melhor cada jornada, é importante relembrar os dois tipos de mindsets classificados por Carol Dweck.

São eles:

Mindset Fixo: Acredita que as qualidades são imutáveis — o mindset fixo — cria a necessidade constante de provar a si mesmo seu valor. Se você possui apenas uma quantidade limitada de inteligência, determinada personalidade e certo caráter moral, nesse caso terá de provar a si mesmo que essas doses são saudáveis. Não lhe agradaria parecer ou sentir-se deficiente quanto a essas características fundamentais.

Mindset de Crescimento: Desenvolve a crença de que é possível desenvolver as qualidades desejadas através do aprendizado. A paixão pela busca de seu desenvolvimento e por prosseguir nesse caminho mesmo (e especialmente) quando as coisas não vão bem é o marco distintivo do mindset de crescimento. Esse é o mindset que permite às pessoas prosperar em alguns dos momentos mais desafiadores de suas vidas.

Exercício

A Jornada. Passo 1: Abraçe seu mindset fixo. Precisamos admitir que todos temos um pouco dele, na verdade, somos uma mistura dos dois (crescimento e fixo).

Dica: Embora tenhamos que aceitar o mindset fixo dentro de nós, não devemos aceitar que ele se revele com frequência nem a quantidade de danos que provoca.

 A Jornada. Passo 2: Entenda “o que” desencadeia seu mindset fixo e “quando” esta persona se apossa de você.

Dica: Faça uma auto-reflexão a fim de identificar, principalmente no passado, quais eventos desencadearam este tipo de mindset em sua vida e quais medos ele trouxe para você.

Ex.: “Talvez você não tenha o que é preciso e todo mundo vai descobrir suas fraquezas” ou “desista, pois você  vai fracassar”.

Procure entender “como” você se sentiu em relação a quando achou que realmente fracassou, pois é muito comum o mindset fixo nos dizer: “Você não é a pessoa que imaginava ser.”

E quando você encontra alguém muito melhor que você na sua área de atuação? O que a voz do mindset fixo lhe diz? Faz com que odeie esta pessoa? Você julga alguém como sendo inteligente ou não?

Pense nisso. Quando começar a entender seus gatilhos e conhecer sua persona não a julgue. Apenas a observe.

A Jornada. Passo 3: Agora, dê um nome para sua persona de mindset fixo. No meu caso, o chamo simplesmente de “Zé Mané”. O Zé geralmente aparece para me deixar amendrontado em grandes desafios e tenta me fazer recuar.

Você pode escolher o nome que achar mais apropriado, baseando-se num personagem de filme, livro ou situação, entretanto, o importante é este nome lembrá-lo de que ele não é a pessoa que quer ser. Que ele não é você o tempo todo.

A Jornada. Passo 4: Nesse momento você já está em contato com seus gatilhos e aflitivamente ciente de sua persona com mindset fixo. Você tem consciência do que ela faz com você.

O que acontece agora? Eduque-a.

Leve-a na jornada com você. Quanto mais ciente estiver dos gatilhos, mais vigilante você poderá estar para a chegada de sua persona de mindset fixo.

Esteja pronto para recebê-la, mas esteja mais preparado ainda para avisá-la de parar. Lembre-se que sua persona de mindset fixo foi criada para protegê-lo mas desenvolve formas limitantes de fazê-lo.

A partir dos quatro passos mencionados nas jornadas acima, procure entender que todos temos dois mindsets. Reconheça seus gatilhos e compreenda os impactos em você.

Começe a pensar nas situações críticas de sua vida sob a ótica do aprendizado. Treine seu cérebro para entender que erros e fracassos (se assim quiser chamá-los) são oportunidades de fazer novamente algo de forma mais eficiente e com isso atingir o mindset de crescimento.

Dicas Finais:

  • Cole num lugar de sua casa, onde você visite com frequência. Carol Dweck sugere na frente do espelho. No meu caso colei na frente de minha escrivaninha.
  • Todos os dias, preferencialmente de manhã, procure realizar as seguintes perguntas a si mesmo:
  1. Quais as oportunidades para aprender a crescer hoje para mim e para as pessoas a minha volta? Ao pensar nas oportunidades formule um plano.
  2. Quando e onde vou executar meu plano? As palavras “quando” e “onde” tornam o plano concreto.
  3. Quando, onde e como vou agir em meu novo plano?
  4. E quando tiver êxito, pergunte a si mesmo: O que preciso fazer para conservar e ampliar meu crescimento?

Por fim, deixo uma frase que reflete exatamente a ideia central do livro:

“Pode ser difícil mudar, mas nunca ouvi ninguém dizer que não tenha valido a pena”.

Até o próximo artigo.

Um abraço.

English EN Portuguese PT Spanish ES
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *